Medicina Veterinária: saiba mais sobre a profissão e conheça um dos profissionais referência na área de Qualidade de Carne

O profissional graduado em Medicina Veterinária dá assistência clínica e cirúrgica a animais domésticos e silvestres. Ele cuida da saúde, alimentação e reprodução de rebanhos, e inspeciona a produção de alimentos de origem animal. Neste caso, verifica o cumprimento das normas de higiene nas indústrias, a fim de evitar a transmissão de doenças para o ser humano. Na indústria alimentícia, controla as tecnologias de produção. Em qualquer indústria que use matéria-prima de origem animal, a presença do graduado é indispensável para fazer o controle dessa matéria-prima. Pode atuar, ainda, na área de vendas de alimentos, remédios, vacinas e de outros artigos para animais.

As primeiras tentativas de organizar e regular a prática de Medicina Veterinária em tratar animais tendem a se concentrar em cavalos devido ao seu significado econômico. Na Idade Média de cerca de 475 A.C., “fazendeiros” combinaram seu trabalho em ferradura com a tarefa mais geral de “treinar cavalo”.

Em 1356, o senhor-prefeito de Londres, preocupado com o padrão de atendimento dado aos cavalos da cidade, pediu que todos os “fazendeiros” que operavam dentro de um raio de sete milhas da cidade de Londres formassem uma “irmandade” para regular e melhorar suas práticas . Isso levou ao estabelecimento da Worshipful Company of Farriers em 1674. Enquanto isso, o livro Anatomia do Cavalo, de Carlo Ruini, foi publicado em 1598. Foi o primeiro tratado abrangente sobre a anatomia de uma espécie não humana.

O primeiro colégio de Medicina Veterinária foi fundado em Lyon, França em 1762 por Claude Bourgelat. Depois de observarem a devastação causada pela praga do gado aos rebanhos franceses, Bourgelat dedicou seu tempo a procurar um remédio.

Isso resultou na fundação de uma faculdade de Medicina Veterinária em Lyon em 1761, de onde ele enviou estudantes para combater a doença; em pouco tempo, a praga foi mantida e a saúde do rebanho restaurada, através da assistência prestada à agricultura pela ciência e arte veterinária.

Áreas de atuação do profissional graduado em Medicina Veterinária

Clínica e cirurgia de animais de pequeno porte: Prestar atendimento clínico e cirúrgico a animais domésticos.

Centros de pesquisa: Atuar na pesquisa e no desenvolvimento de biotecnologias voltadas ao setor animal.

Indústria de produtos para animais: Acompanhar a produção e a comercialização de alimentos, rações, vitaminas, vacinas e medicamentos. Cuidar do marketing dos produtos e prestar assistência técnica ao cliente.

Indústria de produtos de origem animal: Fiscalizar estabelecimentos que produzam, vendam ou exportem produtos de origem animal.

Conservação de espécies: Estudar animais silvestres em cativeiro ou em seu habitat, cuidando de sua reprodução e preservação. Implantar projetos ecológicos e em reservas naturais.

Perícia técnica: Avaliar a saúde de animais de competições esportivas e a possível ingestão por eles de medicamentos e hormônios proibidos.

Produção e sanidade animal: Controlar a saúde de rebanhos. Prevenir e controlar doenças em propriedades rurais.

Saúde pública veterinária: Prevenir e controlar zoonoses e doenças transmitidas por vetores. Atuar na vigilância epidemiológica, sanitária e ambiental.

Tecnologia de produção animal: Desenvolver técnicas e métodos de aperfeiçoamento genético, alimentação e reprodução.

Mercado de Trabalho na Medicina Veterinária

O Brasil é o segundo maior mercado pet do mundo, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), com uma previsão de faturamento de R$ 19,2 bilhões em 2016.

Nas grandes cidades, há uma abundância de clínicas veterinárias e lojas para animais de estimação, o que resulta em boa procura pelo profissional. Mas a concorrência é elevada. O profissional que quer ter seu próprio negócio precisa ser criativo e oferecer produtos e serviços inéditos para atrair clientes.

O agronegócio é outra área aquecida. Nela, o graduado atua em parceria com agrônomos e zootecnistas na melhoria das condições de saúde de rebanhos.

Na indústria de produtos de origem animal faltam veterinários para adequar as condições de produção às normas de exportação. As empresas que produzem peixes em cativeiro sofrem com a falta do bacharel. Há ainda boas chances na indústria de medicamentos e de produtos veterinários.

As melhores Universidades de Medicina Veterinária segundo o Guia do Estudante

Universidade Federal de Lavras

Universidade de Brasília

Universidade Federal de Minas Gerais

Universidade Federal de Santa Maria

Universidade Federal de Viçosa

Profissional Destaque na Área de Qualidade de Carne

Nós, apaixonados por carne e tudo que envolve a produção e industrialização, temos o Professor Pedro de Felício como nossa fonte de inspiração. Profissional reconhecido por sua grande contribuição à ciência brasileira e por sua grande simpatia, sempre muito prestativo e disposto a dividir seus conhecimentos com todos a sua volta.

O professor Pedro graduou-se em Medicina Veterinária pela USP em 1972, fez Mestrado em Genética Animal também na USP e doutorado em Animal Sciences and Industries (Animal Products) – Kansas State University em 1982

Além de ter atuado como professor titular na Unicamp nas áreas de Zootecnia e Ciência e Tecnologia de Alimentos, também foi pesquisador do Ital (Instituto de Tecnologia de Alimentos), publicou centenas de artigos em jornais e revistas, orientou e formou muitos outros profissionais e mais que merecidamente recebeu mais de 10 prêmios e homenagens em consequência de todo trabalho e dedicação.

Em Janeiro deste ano, ele nos deu sua opinião em uma entrevista sobre o mercado da carne bovina, onde aprendemos muitas coisas interessantes. Para ler a entrevista completa acesse: “Entrevista com Professor Pedro de Felício: “O que um consumidor e pesquisador experiente tem a nos contar sobre a cadeia produtiva de carne bovina?”

Referências:

Wikipedia

Guia do Estudante

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *